O Parque dos Sonhos, após muitos meses de trailers que pareciam já entregar toda a história do filme, finalmente estreia em circuito nacional no dia 14 de março. E, para a nossa surpresa, a quantidade de propaganda que antecedeu o filme não estraga a experiência.

Verdade seja dita: o trailer já mostra toda estrutura do roteiro. Nesta aventura acompanhamos June, que criou um parque imaginário, mas eventualmente deixou a brincadeira de lado de forma que o mundo fantasioso está aos pedaços e, ao ser transportada para lá, cabe a garota consertar as coisas. Se o argumento não empolga muito, o material deixado de fora dos trailers prende totalmente a atenção: as situações e motivos que fizeram a protagonista abandonar o mundo da imaginação são tocantes, compreensíveis e realistas. No fim, apesar do cenário de magia que cerca a película, a história se trata de enfrentar medos, superar inseguranças, assumir seus erros e não perder a si mesmo nesse mar de responsabilidade.

A produção é de ninguém menos que a Nickelodeon, um grande nome no
campo de entretenimento que já trouxe alegria para muitas crianças com
programas inesquecíveis. E se algumas vezes o estudo deixou a desejar, este não é o caso, principalmente na parte da animação. Tudo é muito lindo, colorido, imaginativo – com as palavras do filme: espetaculíssimo! – e não é só, o 3D é extremamente competente e nos faz lembrar de como o efeito pode ser cativante quando bem feito! O pacote é pura magia que merece ser conferido.

Ainda que o roteiro já entregue de forma explícita um grande material para
reflexão, não podemos deixar de apontar o vilão do filme, a Escuridão, uma
espécie de buraco negro que controla um exército de macaquinhos colecionáveis que destroem o parque para alimentar seu mestre… e que nos
parece uma analogia clara ao consumismo, que por si só não é nocivo, exceto quando é usado para alimentar vícios ou servir de muleta para fugir dos problemas. Ainda há uma bela lição de trabalho em equipe, onde todas as engrenagens necessitam estar em harmonia; nem mesmo mágica funciona quando algum componente do grupo deixa de fazer a sua parte.

Ainda, apesar de não haver cena pós créditos, basta que comecem a aparecer os nomes dos dubladores que surge uma vontade de rever o filme na versão legendada. O elenco original conta com bonés como Jennifer Garner, Matthew Broderick, Mila Kunis e Kenan Thompson – de Kenan & Kell, clássico da Nickelodeon!

Merece espetaculíssimos 4,5 cookies !