Desde que foi anunciado, no início de 2020, que os filmes do Studio Ghibli passariam a fazer parte do catálogo da Netflix, fãs comemoraram, entusiasticamente, e grande parte do público em geral que, até então, não era tão conhecedor assim desse acervo, foi igualmente presenteado com o privilégio de poder apreciar, no conforto do lar, essas obras-primas da animação oriundas da Terra do Sol Nascente. O Studio Ghibli é o responsável pela realização de longas-metragens animados que, no decorrer das décadas, se consolidaram como verdadeiros clássicos nipônicos. Entre eles, podemos destacar Meu Amigo Totoro (1988), O Serviço de Entregas da Kiki (1989) e A Viagem de Chihiro (2001), esse último vencedor do Oscar de Melhor Animação.

Os três filmes acima citados, bem como (quase) todos os outros que compõem as 21 produções do selo Ghibli lançadas até agora, atualmente podem ser admirados e contemplados na famosa plataforma de streaming. Curiosamente (e para o nosso deleite), também faz parte desse pacote uma importantíssima obra concebida ANTES da criação oficial do estúdio, e cujo êxito foi justamente o embrião para o seu surgimento. Em 1984, era lançado Nausicaä do Vale do Vento, sob a direção de ninguém menos do que o mestre da animação japonesa, Hayao Miyazaki. Esta ficção científica pós-apocalíptica, baseada em um mangá publicado pela primeira vez em 1982, escrito e desenhado pelo próprio Miyazaki, obteve uma ótima aceitação do público e da crítica. Era a motivação que o animador precisava. Então, com o retorno financeiro obtido por Nausicaä, em 1985 Miyazaki fundou, juntamente com outros três sócios, o Studio Ghibli! O resto é história… que está na Netflix para ser conferida!

Muitos anos após uma guerra que varreu quase toda a humanidade do planeta, a fauna e a flora terrestres sofreram mutações, formando o Mar da Corrupção, uma floresta repleta de insetos gigantes e plantas supostamente nocivas aos seres humanos. A jovem e corajosa Nausicaä é a princesa de um dos vilarejos localizados nos arredores dessa mata selvagem, o Vale do Vento. Seu povo vive em paz, uma comunidade tranquila e feliz, mas sempre de olho na floresta. Nausicaä, contudo, enxerga todo aquele ecossistema de forma diferente, e acredita haver algum motivo nobre para a Natureza ter se desenvolvido daquela maneira.

Além disso, Nausicaä ama todos os animais, e não só os fofinhos, que são fáceis de gostar, mas também aqueles besouros gigantes, a princípio ameaçadores, mas dotados de uma consciência e de uma sensibilidade impressionantes. O Vale do Vento tem sua paz bruscamente interrompida ao se ver, involuntariamente, no meio da disputa entre duas cidades que lutam pela posse de uma grande arma militar do passado, com a qual acreditam serem capazes de colocar um fim no Mar da Corrupção. Mas a destemida Nausicaä e seus amigos farão de tudo para acabar com essa guerra instaurada em seu território, proteger o seu povo e, afinal, restabelecer a tão valiosa paz!  

Nausicaä do Vale do Vento é uma belíssima introdução ao mundo mágico de Hayao Miyazaki, já contendo os principais temas com os quais ele trabalharia, sempre de maneira lúdica, também em seus longas posteriores. A predileção por personagens femininas, heroínas cheias de atitude, e também de ternura, que lutam por seus objetivos, e conquistam o expectador com seus nobres ideais. A paixão do cineasta por cenas aéreas, incluindo os mais diversos veículos voadores, uma vez que seu pai fora engenheiro aeronáutico. A opção por momentos contemplativos nos quais os protagonistas apenas vislumbram a paisagem à sua volta. A composição de personagens dúbios que, à primeira vista, podem parecer vilões, porém, no decorrer das tramas, revelam-se muito mais complexos. A execução da trilha sonora, ora dinâmica, ora discreta, ora empolgante, ora tocante, de Joe Hisaishi, grande parceiro de Miyazaki, sendo o compositor da maioria dos longas do Studio Ghibli. A celebração à vida no campo, a céu aberto, em contato com a Natureza e… A comoção proporcionada por cenas de crianças rindo e se divertindo com as mais variadas espécies de animais fofinhos saídos da mente do mestre Hayao, como a inesquecível e adorável raposa-esquilo!

Amizade, solidariedade, compaixão, amor aos animais e preservação da natureza são apenas algumas das abordagens encontradas em Nausicaä do Vale do Vento, filme marco zero do Studio Ghibli, que se mostra ideal para ser visto em família. Para as sessões seguintes, estão à disposição no generoso catálogo da Netflix as outras fabulosas obras da mesma procedência. Aproveite! Embora algumas das animações do estúdio tragam personagens caricatos e cômicos, e aparentemente tenham uma maior identificação com o público infantil, Myiazaki e sua equipe sempre trazem valores altamente relevantes para as nossas vidas, independente de nossas idades. E, conforme o nível de imersão do expectador com a história, alguns momentos se mostrarão verdadeiramente comoventes a ponto de despertarem até lagrimas de emoção. Gênios do cinema fazem isso. E Hayao Miyazaki, indiscutivelmente, é um deles.