Kamen Rider é uma série japonesa que surgiu de um mangá. Já ganhou filme e deu sequência a outros heróis também. Os Riders são tipo motoqueiros mascarados com capacetes inspirados em insetos, que lutam contra super vilões e salvam o mundo! Dentre histórias de roteiros já teve personagem entre a vida e a morte, submetidos a cirurgias, alter egos sendo explorados e aventuras que intercalam mundos planeta terra afora.

Dividido em fases: Era Showa e Era Heisei a franquia a muitos anos é um grande sucesso entre os fãs de tokusatsu do mundo inteiro. Ou seja, séries e filmes de ação que levam efeitos especiais. A Era Showa encaixa-se entre os anos de 1926 e 1989, todos os personagens desde período foram criados por Shotaro Ishinomori. A era Heisei acabou em 30 de abril. Dia 1 de maio foi o início da era Reiwa.

E hoje para falar deles, nosso convidado especial é o querido amigo do nordeste Césinha! O César Filho do Blog Daileon e da Coluna do Daileon e do site JBox! Ele que já fez alguns collabs sensacionais com o Serial Cookies <3! Confiram Entrevista com Marcelo Robocop aqui e aqui, Top Cookies: 5 Episódios Marcantes em Power Rangers. E vale também lembrar que já teve participações muito divertidas na Coluna do Daileon no J-Box como no Especial de 25 anos de Power Rangers, e em uma pontinha no Especial dia da Mulher no seguinte link. Sempre bom trabalhar com César! E agora bora ver as escolhas dele para o Top Cookies? Henshin!


5 – Kamen Rider Decade (2009)

Essa não chega a ser uma grande série, mas vale a menção por ser uma das mais lembradas e “queridas” pelos fãs. O fato é que Decade acabou servindo de divulgação de seus antecessores. Porém, os heróis que ali apareciam era versões alterativas de mundos paralelos. A exceção da lista é Kamen Rider Den-O, já que os personagens são os mesmos da série de 2007. O anti-herói de passagem merece o quinto lugar também por marcar o primeiro crossover oficial entre um Kamen Rider e um Super Sentai. Nos episódios 24 e 25, Decade visitou o mundo de Shinkenger, que é na realidade o mesmo das demais da franquia dos heróis multicoloridos (exceto Kyuranger). Outro destaque é o arco duplo com a participação especial de Tetsuo Kurata interpretando duas versões alternativas de Issamu Minami (Kotaro Minami): Kamen Rider Black e Kamen Rider Black RX. O final da série aconteceu de fato no filme Kamen Rider × Kamen Rider W & Decade: Movie Taisen 2010, em dezembro de 2009. (!) Após a exibição do último episódio em 30 de agosto de 2009, Kamen Rider Decade ganhou uma reprise também nos domingo da TV Asahi e mais cedo, às 6h30 da manhã. Os dois últimos episódios (exibidos nos dias 2 e 9 de maio de 2010) tiveram novas versões com leves mudanças.

4 – Kamen Rider W (2009)

Foi a primeira série da segunda metade da atual era dos Riders. Kamen Rider W (Double) mostra pela primeira vez dois alter-egos se transformando num único Rider. Inicialmente tinha 9 formas alterativas, sendo que a principal é a Cyclone/Joker (metade verde, metade preto). Quem assume a identidade do herói é o detetive Shotaro Hidari, enquanto seu parceiro e gênio Philip tem sua mente unida a Shotaro durante a transformação. É uma das melhores séries Kamen Rider e a que mais deixou saudade pelo carisma dos personagens. Rendeu várias sequências, sendo as principais os dois spin-off conhecidos como Kamen Rider W Returns e o mangá Futo Detectives que atualmente conta com 46 capítulos. Kamen Rider W foi o primeiro trabalho do roteirista Riku Sanjo na franquia e mais tarde trabalhos em Kamen Rider Fourze (2011) e Kamen Rider Drive (2014). A ideia não é original, uma vez que Ultraman Ace (de 1972) teve dois hospedeiros. Mas isso é assunto para outro Top Cookies…

3 – Kamen Rider Gaim (2013)

Escrita por Gen Urobuchi, o mesmo do anime Madoka Magica, Kamen Rider Gaim é uma das mais surpreendentes do período. Não se acanhe por ver os Riders representando frutas. Há uma razão pra isso: os conceitos do Fruto Proibido. Vale a pena acompanhar essa instigante trama que aborda toda uma conspiração que liga a fictícia cidade Zawame e a corporação Yggdrasill. A disputa entre outros Riders e também contra os monstros Invess é muito mais antiga e reserva grandes surpresas. O episódio 30 tem ligação com o filme Kikaider Reboot (de 2014).

2 – Kamen Rider Kuuga (2000)

A primeira série da era atual merece o segundo lugar por sua importância. Dispensou a antiga filmagem peliculada de 16mm (utilizada pela Toei desde 1978 na série tokusatsu Uchu Kara no Message) e passou a utilizar uma filmagem em vídeo no formato widescreen. Foi a segunda série póstuma de Shotaro Ishinomori (a primeira foi Moero!! Robocon, de 1999) e ditou um novo tipo de narrativa para as séries tokusatsu no início do século. Os episódios dramáticos são pesos importantes para essa trama que, é de longe, um clássico indispensável para a história do tokusatsu. Apesar de admitir que não gosta de tokusatsu, o ator Joe Odagiri fez um ótimo papel como Yusuke Godai, o alter-ego do herói. Distribuído pela Imagine Action Dá Licença (a mesma d’Os Cavaleiros do Zodíaco), Kamen Rider Kuuga quase foi exibido aqui no Brasil. Segundo informações, as emissoras cogitadas para a transmissão eram a Globo e o extinto canal pago Fox Kids.

1 – Kamen Rider Build (2017)

Não apenas da era Heisei, mas esta é de longe a melhor série da franquia Kamen Rider. Que os saudosos da Manchete perdoem este que vos escreve, mas Kamen Rider Build ultrapassa Kamen Rider Black. E digo isso sem exagero algum (e sem desmerecer o clássico). O promissor roteirista Shogo Muto conseguiu construir (sem trocadilho) uma mitologia paralela aos demais heróis com muita conspiração, ambição, rivalidade e mistério. Genuinamente uma história sobre Kamen Rider e sem uma temática específica (como médicos, policiais, fantasmas, frutas etc). O vilão mais cruel da franquia está lá (não é o Shadow Moon) e deu muita dor de cabeça para os heróis. Mas muita mesmo. Olha, Kamen Rider Build é de deixar o espectador na ponta do sofá e roendo as unhas com a saga de Sento Kiryu num cenário onde o Japão é dividido em três regiões. Fica aqui o merecidíssmo primeiro lugar e a nossa recomendação para acompanhar esta maravilhosa série!

O legado permanece, porém a luta contra o mal continua. Sigam protegendo a paz da humanidade e o sorriso das pessoas! Avante, defensores da justiça! Lutem, Kamen Riders!

HENSHIN!!!

______________________________________________________________________________

Sobre o autorCésar Filho é radialista, autor do Blog Daileon e escreve semanalmente uma coluna sobre tokusatsu para o site JBox. Mora em Fortaleza, é fã de produções live action com efeitos especiais, principalmente das franquias Metal Hero, Ultraman e Kamen Rider. É admirador declarado pela cantora Yumi Matsuzawa.